SER SANTOS COMO ELE É (III)

ser santo 3A praga do cristianismo nominal

Os relatórios missionários, em muitos paises carentes do evangelho, por exemplo a Índia, estão cheios de notícias de impressionantes “movimentos de pessoas” para Cristo que estão aparentemente acontecendo em todo o país. Os missionários relatam noticias que descrevem seu trabalho nos seguintes termos: “7.000 igrejas foram plantadas na Caxemira nos últimos 5 anos”. “50.000 novos crentes foram batizados em Nova Deli ano passado”. “Centenas de milhares da casta inferior dos ‘Dalits’ (intocáveis) estão chegando para conhecerem a Cristo”. O que nos é dito é que as coisas estão acontecendo na Índia em uma “escala sem precedentes”, igualada somente pelos capítulos iniciais do livro de Atos. Isso é real? Deixe-me responder com 3 pontos.

I. Onde estão as igrejas?
Um colega indiano cooperador do evangelho (que trabalha em uma das regiões mais difíceis no norte da Índia) me disse que, quando ele ouve amigos do Ocidente falarem sobre essas milhares de igrejas plantadas, sem piscar, ele pergunta irritado pelo endereço e o CEP delas para que ele possa visitar pelo menos uma delas. Seu ponto não é que todas as igrejas têm que ter um endereço físico, mas que esses números estão relatando igrejas fantasmas, que não existem na realidade.

Em resumo, os números são uma ilusão. Essas assim chamadas “igrejas” são tipicamente nada mais que um grupo de três ou quatro pessoas que acabam por se encontrar uma ou duas vezes de forma casual. Elas ouvem umas duas histórias bíblicas aguadas e desaparecem no esquecimento depois disso.

Na maioria dos trabalhos missionários na Índia, as prioridades pragmáticas suplantaram as prioridades bíblicas. Um missionário conhecido do Ocidente recentemente disse que, acerca do seu desenvolvimento na Índia, os superiores na sua organização insistiram que ele fosse “estratégico” para “estimular um rápido crescimento” na plantação de “igrejas-coelho”, que são rapidamente estabelecidas e se multiplicam rapidamente, ao invés de plantar “igrejas-elefante”, que tomam um longo tempo para se estabelecerem e, então, requerem muito trabalho no discipulado, o que torna as coisas mais lentas. A resposta direta desse missionario foi: “Mas igrejas-coelho são devoradas por falcões e lobos”.

A mania por números e o impulso por crescimento rápido resultam em “igrejas” que não têm o evangelho, nem liderança, nem teologia, nem profundidade, tornando-as presa fácil para as heresias da teologia da prosperidade, sincretismo e outros ensinos falsos.

II. Que tipo de “conversão”?
Pior que isso, a praga do Cristianismo nominal traz reprovação para o nome de Cristo da parte dos descrentes da Índia. O impulso por números e por rápido crescimento em missões tem resultado em muita distorção e diluição da mensagem do evangelho hoje. As pessoas são ensinadas a “acreditarem em Jesus”, “receberem Jesus” ou “fazerem uma decisão por Jesus”, sem nenhum ensinamento bíblico sobre arrependimento. As assim chamadas “conversões” que resultam disso são, na melhor das hipóteses, nominais e, na pior delas, manipuladas.

Desconsiderando as ordens e as qualificações bíblicas para presbíteros da igreja (1 Timóteo 3.1-7, especialmente o versículo 6: “não seja neófito”), os missionários indicam “líderes” nativos desqualificados cujo único “treinamento” é uma conferência de uma semana com uma equipe missionária.

Em muitos casos, as pessoas são “convertidas” aos montes, acreditando que se converter ao Cristianismo lhes trará certos benefícios sociais ou econômicos. Os missionários triunfantemente enviam relatórios missionários de volta para casa com testemunhos que apresentam suas estupendas e insondáveis estatísiticas de pessoas convertidas e igrejas estabelecidas. Ken R. Gnanakan, um teólogo indiano, respondendo ao movimento de crescimento de igreja há muitos anos, colocou muito bem: “Em nosso zelo por relatar números para nossos parceiros de oração, nós deixamos as congregações continuarem a seguir seu pensamento hindu. E, exceto por uma mudança no nome e no local de adoração, há pouca diferença entre os assim chamados cristãos e seus vizinhos hindus.”
(Continua)

 

Versiculos

Salmos, 138:7 - Se ando em meio à tribulação, tu me refazes a vida; estendes a mão contra a ira dos meus inimigos; a tua destra me salva.

Visite-nos

Brasil - São Paulo - SP
Endereço: R. Nova dos Portugueses, 483
(proximo a estação do metro Santana)
Bairro:  Santa Teresinha
Fone: 2236-0720
Email: contato@igrejaplenadagraca.com