Quintas de Vitória


Comunhão diária e permanente com Deus

Salmos 145:2 - Cada dia te bendirei, e louvarei o teu nome pelos séculos dos séculos e para sempre.

Uma das áreas que Deus tem trabalhado mais em minha vida espiritual, é com respeito a experimentar uma comunhão diária e permanente com Ele. Sou cristão evangélico, pentecostal e amo a fé que recebi, pois nela encontrei a salvação.
Mas tenho que admitir que nós, cristãos, podemos sofrer de uma doença espiritual chamada “templismo”.

“Templismo” é um apego demasiado ao templo, que pode, caso não seja devidamente cuidado, se transformar numa vida espiritual limitada as programações que ocorrem no prédio onde se reune a igreja.
Esse tipo de vício religioso pode roubar de nós a beleza do cristianismo e sua simplicidade. Limita o evangelho ao "Local" de culto e o exclui do cotidiano. Não podemos aceitar isso no coração.

O salmista afirmou: “Cada dia te bendirei”. Dia após dia, o Pai deseja estreitar o relacionamento com voce. Mas isso não poderá ocorrer se você limitar sua comunhão com Ele aos momentos que passa no predio. Traga Deus pra sua vida cotidiana! Leia sua Bíblia em casa, ore com seus familiares, ore no carro, no trabalho, no banho. Chegue o mais perto possível do Senhor; Ele promete em Sua Palavra se aproximar dos que se achegam a Ele (Tg 4.8).

Ter Deus por perto é tudo o que você precisa!

Deus te abençoe!

 
Não Tema !!

VERSICULO DE HOJE: João 14:27 - Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como o mundo a dá. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize.

A hora da condenação e morte de Jesus estava se aproximando. Por isso, o Mestre achou por bem preparar espiritualmente Seus discípulos. - “Deixo com vocês a paz. É a Minha paz que Eu lhes dou?: não lhes dou a paz como o mundo a dá. Não fiquem aflitos, nem tenham medo” (João 14:27).

Jesus já sabia a intensidade do sofrimento dos Seus discípulos, no decorrer de Seu ministério. Eles seriam agredidos pelo susto, pela incompreensão, pela maldade, pela injustiça do Sistema desse mundo. No mínimo, teriam a reação do "medo". A natureza humana daqueles discípulos é a mesma natureza de nós discípulos, nos dias de hoje. Continuamos a ser agredidos pelas forças do mal, permitidas por Deus. O poder da maldade que nos cerca continua criando em nós a conduta do "medo".

Por que Jesus nos garante a Sua paz? Porque é a única realidade espiritual capaz de sobrepujar os estragos no nosso medo. É importante frisar: o que nos liberta da tragédia espiritual instilada pelo Sistema desse mundo não é nossa coragem – é assimilar e ser invadido pela paz construtiva do Espírito de Cristo. Não permitamos que o medo nos imobilize. Permitamos, pela fé, que o poder da paz de Cristo nos domine.

No amor de Jesus!

 
A melhor forma de escravidão

Versículo do dia: Porque o que foi chamado no Senhor, sendo escravo, é liberto do Senhor; semelhantemente, o que foi chamado, sendo livre, é escravo de Cristo. (1Coríntios 7.22)

Eu poderia esperar que Paulo trocasse os lugares de “Senhor” e “Cristo”.

Ele relaciona nossa libertação com Jesus como nosso Mestre (“liberto do Senhor”), e relaciona nossa nova escravidão com Jesus como nosso Messias (“escravo de Cristo”). Mas, de fato, o Messias veio para libertar seu povo daqueles que lhes escravizavam; e os mestres controlam a vida das pessoas.

Por que Paulo fala assim? Sugestão: A troca tem dois efeitos sobre a nossa nova liberdade e dois efeitos sobre a nossa nova escravidão.

Ao nos chamar de “libertos do Senhor”, ele protege e limita nossa nova liberdade:
1.O senhorio de Jesus está sobre todos os outros senhores; então nossa libertação é incontestável — segura.
2.Porém, livres de todos os outros senhores, não somos livres dele. Nossa liberdade é misericordiosamente limitada.

Ao nos chamar de “escravos de Cristo”, ele afrouxa e suaviza nossa escravidão:
1.O Messias reivindica para si mesmo trazê-los dos confins do cativeiro para os lugares espaçosos da paz: “para que se aumente o seu governo, e venha paz sem fim” (Isaías 9.7).
2.E o Messias os faz seus, para dar-lhes a mais doce alegria: “Eu […] o saciaria com o mel que escorre da rocha” (Salmo 81.16); e essa Rocha é Cristo.

 
A cidade perfeita

Versículo do dia: Deus… lhes preparou uma cidade. (Hebreus 11.16)

Sem poluição, pichação, lixo, pintura desbotando ou garagens caindo aos pedações, sem grama morta ou vidros quebrados, sem conversas desagradáveis na rua, sem confrontos diante dos seus olhos, sem conflitos ou violência no lar, sem perigos de noite, sem incêndios, mentiras, roubos ou assassinatos, sem vandalismo e sem feiúra.

A cidade de Deus será perfeita porque Deus estará nela. Ele andará e falará nela, e se manifestará em cada parte. Tudo o que é bom, belo, santo, pacífico, verdadeiro e feliz estará lá, porque Deus estará lá.

A justiça perfeita estará lá e recompensará mil vezes cada dor sofrida em obediência a Cristo. E ela nunca se corromperá. Em verdade, ela será cada vez mais brilhante, conforme a eternidade se estender em eras eternas de crescente alegria.

Quando você deseja esta cidade acima de tudo na terra, então você honra a Deus, que, de acordo com Hebreus 11.10, é o seu arquiteto e edificador. E quando Deus é honrado, ele se agrada e não se envergonha de ser chamado de seu Deus.

 
A fé salvífica não é facilmente satisfeita

Versículo do dia: E, se, na verdade, se lembrassem daquela de onde saíram, teriam oportunidade de voltar. Mas, agora, aspiram a uma pátria superior, isto é, celestial. (Hebreus 11.15-16)

A fé vê o futuro prometido que Deus oferece e o “deseja”. Meditemos nisso por um momento.

Há muitas pessoas que rebaixam o que é a fé salvífica, tornando-a uma mera decisão destituída de mudança do que alguém deseja e busca. Mas, a essência deste texto é que viver e morrer pela fé significa ter novos desejos e buscar novas satisfações.

O versículo 14 diz que os santos do passado (os quais são elogiados por sua fé em Hebreus 11) estavam buscando um tipo diferente de pátria, em vez do que esse mundo oferecia. E o versículo 16 acima diz que eles desejavam algo melhor do que uma existência terrena presente poderia oferecer.

Eles tinham sido tão conquistados por Deus que nada menos do que o céu poderia satisfazê-los.

Assim, esta é a verdadeira fé salvífica: ver as promessas de Deus à distância e experimentar uma mudança de valores, de forma que você deseja e busca as promessas acima ao invés do que mundo tem para oferecer.

 


Página 51 de 58

Versiculos

Oséias, 6:3 - Conheçamos e prossigamos em conhecer ao Senhor; como a alva, a sua vinda é certa; e ele descerá sobre nós como a chuva, como chuva serôdia que rega a terra.

Visite-nos

Brasil - São Paulo - SP
Endereço: R. Nova dos Portugueses, 483
(proximo a estação do metro Santana)
Bairro:  Santa Teresinha
Fone: 2236-0720
Email: contato@igrejaplenadagraca.com